Criação
Sinopse

Aqui era tudo salina, antigamente...
Era uma época que tinha ainda barro
Ficavam morros de sal por aqui e ali...
Na medida em que os morros iam se desmanchando, se ia vendo ascasas aparecendo aqui e ali.
O tempo das salinas...
Dez filhos, sem marido - meu pai tinha se ido - e ela costurando sempre, dia e noite...
Antes, quando eu ia dormir, escutava as coisas bêbadas de meu pai...
De noite minha avó me contava que ia ver a roda de cantiga de mato...
Era tarde da noite, a gente só vendo mata e lua...
Aquele pedaço de terra pertoLembro que ela contava de uma enchente...
A enchente levou nossas casas, tudo...
Então nós vimos para cá...

Ficha Técnica

Concepção e Direção Artística: Anália Timbó
Dramaturg: Ângela Linhares
Coreografia: Anália Timbó, Elisilene Mesquita, Jéssica Henou e Socorro Timbó
Texto e Voz: Ariano Suassuna
Criação de Figurinos e Adereços e Cenários: Anália Timbó
Confecção dos figurinos: Alexssandro Gomes e Mirian Gomes
Criação de luz: Samir Kassouf
Um olhar Exterior: Ermeson Dias e Linhares Junior

Video
Website

https://www.vidanca.org.br

Autor, companhia ou diretor

Escola Vidança

Biografia

A Escola Vidança desenvolve, há trinta e cinco anos, um trabalho voluntário ministrando aulas de ballet clássico, danças dramáticas, laboratório de criação coreográfica, dança criativa, alongamento, consciência corporal, criações viso-manuais, criações literárias, capoeira, hip-rop, percussão, carpintaria, em Vila Velha, atendendo a crianças e adolescentes.

Na tentativa de incorporar as referências populares do lugar, foi implantado em 2000 um grupo de ensino de capoeira, cujo curso é ministrado por monitores da própria comunidade. O curso atinge os adolescentes que se voltam para a arte da dança e da música, dentro dos cânones da capoeira e da percussão.
As mães das crianças também recebem cursos específicos que envolvem o fazer prático da composição de espetáculos, uma vez que a tradição primeira do lugar remete às mulheres para as artes manuais e viso-plásticas.

Tem-se buscado atuar com as mães e adultos vinculados a estes adolescentes também com cursos de consciência corporal, além de proporcionar-lhes momentos de vivência em dança, mediados pelos próprios adolescentes e crianças.

Com os adolescentes, foi criado em 2002 um grupo especialmente voltado ao ensino da percussão, com os jovens que não desejam se envolver especificamente com a dança.

Numa estrutura participativa e modular, as atividades utilizam material reciclado, desenvolvido na confecção dos figurinos, como forma de valorizar nas artes manuais o fazer concreto destas populações. A região que compreende a Barra do Ceará e o Vila Velha é uma das mais violentas e pobres de nossa capital, mas sua produção cultural mostra pujança e riqueza incomuns.

É sabido por todos que a educação e a arte têm salvado muitas pessoas da desistência da vida, da acomodação a estruturas perversas e difíceis. A Associação Vidança percebe seu compromisso e a grande importância de seu trabalho como elemento humanizador e, também, como agente formador de uma comunidade onde o indivíduo expande dimensões vitais de crescimento, como a dimensão artística, exercendo seus talentos em benefício de si e do Outro (um Outro que se expande para a comunidade).Seu corpo move a vida de mais de duzentas crianças, adolescentes, jovens e adultos. Até agora, trinta e quatro espetáculos foram apresentados, em espaços internacionais e nacionais e no sertanejar dos diversos interiores dos Brasis.
A última montagem, “Histórias de Acordar o Amanhã”, passeia por quatro décadas da Vidança e leva o público a uma viagem pelos sentimentos das bailarinas e bailarinos.

Vídeo
Responsável

Anália Timbó

Website

https://www.vidanca.org.br

Email de Contato

vidanca@vidanca.org

Telefone de Contato

(85) 32627599